Pague com Mastercard Pague com Visacard Pague com Elo Pague com Diners Club Pague com American Express
Atendimento de Seg a Sex de 09h às 18h

Ligue de Fixo ou Celular Gratuitamente: 0800 580 2589

Assédio moral por não atingir meta

Agência Vera Detetives Particulares > Blog > Detetive Particular > Assédio moral por não atingir meta

De acordo com um site de pesquisa, a empresa Carrefour, que é uma das maiores redes de lojas e que está espalhada por todo o país com as bandeiras Carrefour Hipermercado, Carrefour Bairro, Carrefour Express, Carrefour Drogaria, Carrefour Posto, Atacadão e Supeco, foi condenada a pagar cerca de R$ 1 milhão por uma denúncia de assédio moral contra os funcionários de uma de suas lojas em Sorocaba, região de São Paulo.

Em relatos, um dos funcionários conta que quem não batia as metas estipuladas pela gerencia, era obrigado a arrancar as gramas do estabelecimento com as próprias mãos. Por essas acusações, a Justiça do trabalho condenou a empresa a pagar essa quantia por danos morais.

Essa ocorrência foi registrada em um posto de combustível, uma das filiais da empresa Carrefour em Sorocaba, e essa ação civil pública é realizada pelo MPT, tirando base em uma notícia que foi apresentada pelo Sindicato dos postos e derivados de petróleo da cidade.

Muitas são as denúncias relatadas pelo MPT, a começar pelos funcionários que não cumprisse a meta era obrigado a arrancar o capim com as mãos, limpar as latas coletoras de resíduos, e até mesmo ficar sentado em um banco de castigo.

Muitos funcionários saíram da empresa, se demitindo por causa dos assédios sofridos dentro da empresa. Uma das vítimas relata que existe um quadro branco, no qual era descrito o nome e foto de quem batesse a meta, já aqueles que não atingiam as metas propostas, tinha o seu crachá pendurado na lousa escrito na cor vermelha.

A 4ª Vara do trabalho sentenciou a rede de Supermercado a não submeter os funcionários a quaisquer formas de assédio, constrangimento, humilhação e vexatório. Caso essa decisão judicial seja descumprida, a rede poderá ser punida por R$ 5 mil diário ao funcionário que for prejudicado.

De acordo com o G1, essa denúncia e processo é de 2009, colocando como um caso antigo e isolado, que eles não compactuam com as práticas da companhia por prezar o respeito e bem estar de todos os colaboradores, que são mais de 84 mil funcionários no Brasil.

O processo ainda não foi transitado, e de acordo com o processo de julgamento, a empresa recorrerá da decisão.

Em um dos comentários realizados pelos seguidores é possível sentir a revolta dos espectadores, um deles chega até a dizer que com certeza esse valor deveria ser pago para os funcionários, principalmente para aqueles que se demitiram por não aceitar essa forma de trabalho e que foram humilhados. Já outra leitora diz ter sido funcionária de uma das redes do grupo, mas que foi muito bem tratada e respeitada por todos.

Independente de qual for o abuso sofrido pelo funcionário, a Agência Vera Detetives Particulares dispõe de diversos equipamentos que te auxiliaram para coleta de informações, imagens e vídeos, nesses e em outros casos, entre em contato e saiba como podemos lhe ajudar.

× Atendimento WhatsApp